Sana 2017: Entrevista com Inemafoo

Por Ana Flávia Sanção, Marcelha Pereira e Leonardo Figueiredo

Entrevista com o Inemafoo. Foto: Ana Flávia Sanção

O Inemafoo foi o primeiro convidado Youtuber a comparecer ao Sana 2017, nesta sexta-feira (14). No palco do Arena Games, ele falou um pouco da sua experiência e respondeu algumas perguntas dos fãs o que o assistiam.

Seu canal do YouTube sobre Minecraft e games em geral, se tornou um dos maiores canais de games do Brasil. Em entrevista para o Caderno de Pauta, ele falou um pouco do seu surgimento e de como é ser Youtuber.

Caderno de Pauta: Quando você começou com o canal?
Fazem uns quatro anos. Foi em 2013.

CP: Da onde surgiu o nome “Inemafoo”?
Só o “mafoo” eu posso falar. O “Ine” é meio que um segredo. O “mafoo” é por causa do Zooboomafoo, que é um desenho que eu gostava muito quando era criança. Já o “Ine” é uma história longa, que vou explicar no canal.

CP: De onde surgiu a ideia de criar um canal no YouTube?
Eu gostava muito de interagir com pessoas. Eu gostava de webrádio. Eu ficava ouvindo e ouvindo o pessoal, e eu também fazia coisas de locução na época. Aí acabou que surgiu o YouTube e eu falei “Ah, vamos migrar e ver no que vai dá”.

CP: E a ideia de criar um canal jogando Minecraft? Você é um dos maiores canais de Minecraft do Brasil.
Ser um dos maiores foi consequência, foi do nada. É consequência do trabalho. O Minecraft eu sempre jogava, aí eu falei “Ah, se eu jogo isso aqui, vou gravar”. Eu tentei gravar outras coisas, não gostei tanto, preferi o Minecraft. Optei por ele e depois fui colocando outros tipos de conteúdo - vlog, jogo diferente… Mas Minecraft continua o principal.

CP: E quais são os outros jogos que você gosta de jogar?
Um monte. Dragon Ball Xenoverse (eu gosto bastante de jogo de anime), Attack on Titan, Naruto, GTA e jogos aleatórios. Jogos bestas, jogos muito bestas - quanto mais besta for o jogo mais eu vou gostar [risos].

CP: Como você se vê no futuro, daqui a cinco, seis anos? Você pretende expandir o seu canal?
Eu não faço a menor noção, sério [risos]. Eu não sei nem meu dia de amanhã. Eu só estou vivendo. Eu estou vivendo o que eu tenho com o canal, pensando bem no que fazer, pensando em prolongar, para não acabar no futuro dando tudo errado e ir para o buraco.

CP: Então hoje você vive do seu canal?
Exatamente isso. O YouTube, hoje em dia, virou profissão. Para muita gente, inclusive para o pessoal mais novo, que está adotando como profissão. Eu também fiz a mesma coisa.

CP: Qual é melhor parte de trabalhar com ele?
Trabalhar em casa. É muito bom trabalhar em casa. E trabalhar para você mesmo.

CP: Como é o contato com outros Youtubers, outros jogadores? Existe algum tipo de rivalidade?
Eu não tenho problema com ninguém. Sou neutro. Não sou do tipo de ir atrás de ninguém, porque não gosto disso. E também não sou do tipo de rejeitar ninguém. Se alguém vir conversar comigo eu vou conversar, se quiser bater um papo ou sair eu vou lá e saio também.

Nenhum comentário