It: A Coisa - Crítica

E algumas curiosidades

Por Maria Beatriz e Sthefanny Ariane

Fonte: G1

It: A Coisa estreou no dia 7 de setembro aqui no Brasil, e desde que foi anunciado fez o coração dos cinéfilos bater mais forte. A trama é baseada no livro de Stephen King, publicado em 1989, mas que até hoje faz muito sucesso com o público leitor - apesar de ter mais de 1000 páginas. As obras do autor são sempre alvo de grandes expectativas em razão do terror psicológico que costuma envolver suas histórias. E por It ser um dos seus romances mais conhecidos, não foi diferente. A primeira adaptação para o cinema ocorreu em 1990, e hoje, 27 anos depois, dirigido por Andrés Muschietti, a história será adaptada em dois filmes. O primeiro, direcionado à infância dos protagonistas, e o segundo irá retratar a fase adulta deles.

Os protagonistas da trama têm personalidades muito fortes, um deles podendo ser um rosto familiar: Finn Wolfhard (Richie Tozier em It), que é o principal na série de sucesso Stranger Things, onde interpreta Mike. Seu personagem no filme faz a história ser engraçada apesar do suspense, por consequência de suas ironias a todo momento. Mas não é apenas ele que se destaca pela atuação; todos os principais atores mirins demonstraram muito talento durante o filme.  Sophia Lillis (Beverly March), Jaeden Lieberher (Bill Denbrough), Jack Dylan (Eddie Kaspbrak), Wyatt Oleff (Stanley Uris), Chosen Jacobs (Mike Hanlon) e Jeremy Ray Taylor (Ben Hanscom) trazem o espectador para dentro da história, como se ele mesmo a estivesse vivendo, tendo assim a experiência de ver de perto o grande sucesso que foi escrito por Stephen tantos anos atrás. 

O enredo se passa na pequena cidade de Derry, na qual os moradores parecem não suspeitar dos eventos que ocorrem a cada 27 anos (coincidência com o lançamento dos filmes?). Há desaparecimentos teoricamente inexplicáveis naquele ano - 1989, e os habitantes de Derry, alienados, parecem não se importar ou perceber os crimes e ataques que estão acontecendo. Isso até que George (Jackson Robert Scott) desaparece e seu irmão começa a investigar os fatos junto dos seus amigos, chamados de “Clube dos Otários”. Ao longo da história acompanhamos seus medos e o desenvolvimento dos personagens, até que eles descobrem que os eventos estão relacionados à aparição de Pennywise (Bill Skarsgard), um palhaço que acorda a cada 27 anos.


Ainda que esteja inserido na categoria thriller, o filme não é um daqueles que não deixa você dormir à noite. É um terror mais puxado para o suspense, além de ser repleto de momentos de susto - onde a maioria é o palhaço aparecendo de repente (o que seria muito bem aproveitado se pudesse ser visto em 3D). Apesar da grande quantidade de momentos tensos, há partes do filme que o espectador pode até mesmo esquecer de todo o drama por consequência das comédias e ironias ditas pelos personagens. It - A Coisa é muito mais que apenas um “filme de terror”; a história é composta por suspense, drama, comédia e até mesmo romance, dando uma aliviada no nervosismo de quem está assistindo.

Fonte: Saga Nerd

A atuação do elenco é uma das coisas que mais surpreende o espectador: interpretações convincentes que vão do humor ao drama de forma natural. A química e parceria das crianças ficam claras durante o longa, fazendo a interação dos personagens parecer muito mais espontânea e contagiante. As cenas onde eles aparecem andando de bicicleta, além de retratar de forma mais pura a amizade dos personagens, remete também à série de televisão Stranger Things. Mas não é apenas isso, na série e em It: A Coisa há apenas uma garota, as crianças sofrem bullying, há uma criatura de outra dimensão, as vítimas são sempre crianças ou adolescentes e o enredo começa com o desaparecimento de uma criança. Mas por que será que há tantas características em comum? 

Fonte: Buzzfeed

Na verdade, o que muitos não sabem é que os irmãos Duffer, criadores de Stranger Things, se ofereceram primeiro à Warner para dirigir It: A Coisa, mas foram recusados pela empresa e o escolhido foi o diretor Andrés Muschietti. Os irmãos não poderiam deixar assim, não é? Eles fizeram algumas mudanças e ofereceram Stranger Things para a Netflix faturando alguns milhões de espectadores (bem vingativos). Agora com It nos cinemas e a segunda temporada de ST chegando, vamos ver no que vai dar. Mas algo inquestionável é a qualidade e o sucesso tanto da série quanto do longa.

De forma bastante realista e madura o filme aborda assuntos polêmicos, como: pedofilia, racismo, alienação parental, intolerância e bullying. Realidade de cada um dos amigos de Bill (Jaeden Lieberher). Tornando os pais e colegas de escola tão assustadores quanto à aparição do palhaço, que surge apenas para acrescentar seus medos vivenciados diariamente. Um roteiro bem construído, que requer de cada personagem, um esforço para que superem seus medos e idealizações sobre a família e o futuro. Também deixando subentendido que os adultos da “tranquila” cidade já estão perdidos e acomodados à realidade, cabendo às crianças tomar alguma atitude e mudar o contexto da história.

Nenhum comentário