Novidades

CCXP18: M. Night Shyamalan apresenta o fim de sua trilogia

Em seu painel, o diretor falou de Vidro, a conclusão de Corpo Fechado e Fragmentado

Por Léo Figueiredo

Fonte: Divulgação. 

O terceiro dia da CCXP 2018 foi agitado no auditório Cinemark XD. E um dos convidados que trouxe animação no dia de hoje foi o aclamado cineasta M. Night Shyamalan, diretor de grandes filmes como O Sexto Sentido, Corpo Fechado, Sinais e A Vila. Em sua passagem pela CCXP, ele foi conversar um pouco sobre seu próximo projeto, Vidro, que estreia em janeiro de 2019 e encerra a trilogia iniciada em Corpo Fechado. 

Em sua entrevista ao Omelete durante o evento, Shymalan confessou que já pensava em uma trilogia quando escreveu Corpo Fechado, porém – por ser um filme pautado em quadrinhos – , foi percebido como algo que não seria muito comercial. Esse foi um dos principais motivos que o levou a demorar a fazer uma sequência. Fragmentado, no entanto, foi um tremendo sucesso, e ele se considerou sortudo por poder fazer esse terceiro capítulo. 

“Vidro é a conclusão de Fragmentado e Corpo Fechado, e isso não é usual de se ver, pois é o fim de dois filmes diferentes, feitos em gerações diferentes, por estúdios diferentes. É algo raro. Eu acho que é a primeira vez que isso acontece e não acontecerá de novo. Eu me sinto muito sortudo por poder encerrar essa história, colocando todos esses personagens juntos. Foi muito delicioso para mim, pensando como escritor, colocar esses personagens em um só lugar”, declarou.

Uma das coisas mais impactantes de se assistir em Fragmentado é testemunhar o desempenho de James McAvoy em 9 personalidades distintas. E Shyamalan já adiantou que em Vidro McAvoy se superou: o ator irá interpretar 20 personalidades. “Foi insano. Ninguém poderia fazer o que ele fez. Eu coloquei os 24 personagens no filme, mas tive que cortar alguns. Eu sou suspeito para falar, mas eu acredito que ele entregou a performance de uma geração em Vidro. É uma das maiores atuações de todos os tempos. Ele é o artista, o ator perfeito nos personagens perfeitos.”

Fonte: site O Vício.
Shyamalan não conseguiu esconder sua relação com os quadrinhos e como isso influencia no seu trabalho. Quando pensa em uma história, por exemplo, o processo de criação é similar ao de um ilustrador criando um quadrinho. Ele desenha cada cena, reflete no significado delas, no enquadramento, na lente que será utilizada. Ao fim, ele tem vários quadros que precisa unir para contar a história, como em uma HQ. 

Corpo Fechado estreou em uma época em que filmes de heróis ainda não eram um sucesso estrondoso. Shyamalan acompanhou essa evolução, garantindo que o primeiro Homem de Ferro é o seu favorito do gênero. Ele também reafirmou que não é um diretor que pensa em sequências. “Eu gosto de contar histórias únicas, de me relacionar com o público. Falar sobre diferentes fenômenos. O Sexto Sentido é sobre fantasmas, Corpo Fechado é sobre histórias em quadrinhos, Sinais é sobre alienígenas. Eu não penso em sequências, mas sim em novas histórias. Eu me sinto muito próximo a autores como Stan Lee, que falam sobre histórias diferentes, indivíduos diferentes”. 

Vidro tem estreia prevista para 18 de janeiro no Brasil.

Nenhum comentário